Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

365 Diary

Um Blog, para falar de tudo um pouco, um pequeno diário, dia a dia, viagens, receitas, costura, etc.

365 Diary

Um Blog, para falar de tudo um pouco, um pequeno diário, dia a dia, viagens, receitas, costura, etc.

As crianças e os dispositivos móveis.

As crianças e os dispositivos móveis. 

Hoje, venho falar de um tema algo controverso. 

 

As nossas crianças passam cada vez mais horas, a jogar em dispositivos móveis e a trocar mensagens. Onde fica a socialização? Qual a relação com os seus pais? 

Vamos por partes. 

Tenho um filho pequeno de 9 anos e no colégio onde ele anda já todas as crianças tem telemóvel, menos o meu. Pergunta-me várias vezes porque, explico-lhe que não precisa, está num colégio, vamos deixá-lo e buscá-lo, se acontecer alguma coisa a escola avisa. Quando está connosco, também não precisa do mesmo. 


Agora perguntam vocês? Ele não será discriminado na escola? Não, não é, até à data é uma criança com uma capacidade de socialização enorme, sem qualquer problema de integração. 
Bem sei que ainda só tem nove anos, se calhar mais um ano e a coisa começa a complicar-se, mas tudo a seu tempo. 

 

Depois temos os tablets, as consolas etc. Sim, o meu filho também tem, assim como muitas crianças, mas mesmo aqui existem regras (custa, mas temos de as ter).

Só pode jogar 1 hora por dia, no máximo. O que faz ele no restante tempo? Brinca, com os brinquedos, fazemos muitos jogos de tabuleiro em família, vamos ao jardim, jogamos à bola, anda de skate, ajuda a cozinhar, etc. 
Verdade que muitas crianças passam horas infinitas a jogar e muitos pais não estão nem aí, porque também lhes dá jeito que assim seja, podem continuar a fazer a sua vidinha normal. 

 

Pergunto, que memórias vão levar estas crianças da sua infância? Resposta: Na minha infância jogava vídeo jogos sozinho no meu quarto.

É isso que queremos para os nossos filhos? Vamos lá recordar, a nossa infância, que memórias têm? Eu tenho tantas e boas. Jogava à bola, fazia piqueniques com os meus pais, assistíamos aos jogos sem fronteiras, íamos à pesca, fazíamos caminhadas, sei lá, são tantas, mas tantas memórias boas. Nesta altura os nossos pais estavam mesmo connosco, não é como hoje. O que vejo actualmente, é muitas crianças no parque com os pais, elas jogam à bola sozinhas, ou com alguma outra criança que apareça e os pais estão no telemóvel a ver emails. Nem vamos falar do que vejo nos restaurantes.

Espero honestamente, continuar a partilhar bons momentos com o meu filho e deixar-lhe boas memórias.

Vamos tantas vezes, ao fim do dia, dar um passeio pelo parque nem que seja 20 minutos, jogamos à bola, conversamos, partilhamos experiências. Jogamos jogos de tabuleiro. É tão bom.
Acho honestamente que temos de balançar a nossa vida profissional com a pessoal. Muitos amigos dizem-me, que quando vão para casa ainda tem muitos emails para responder. Também eu. Caso o tenha de fazer, faço-o depois de deitar o meu filho.


Tudo se consegue fazer, basta querermos e nos organizarmos. Se calhar quando estamos a trabalhar, estarmos mesmo a trabalhar, sermos efectivos no que fazemos e não estarmos no horário de trabalho tempos infinitos no café a falar do dia-a-dia.

Os filhos são o nosso maior presente, não os abandonem.

 

download.jpg

 

PS: Não estou a escrever este texto durante o meu horário de trabalho, porque estou de férias.

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D